Seu browser não tem suporte ao JavaScript!
Recursos de
Acessibilidade:  
Tecle Alt+1 : ir ao conteúdo Tecle Alt+2 : ir ao mapa do site Texto menor Texto maior Contraste                 
PAULO VINICIUS WOLBER - PMDB
Vereadores
LEGISLATURA 2017-2020

Presidente Atual
PAULO VINICIUS WOLBER
ADRIANO DELFINO DA SILVA - PMDBANA MARIA COSTA CAPUTTI - PRBAURO OCTAVIANI - PMDBCARLOS ALBERTO ALVES - PSC
EDERSOM ROBERTO MAININI - PRB
ELDER FABIANO CAMILO - PMDBGLAUCO LUIS COSTA TON - PMDBLUCIANO DURÃES DE VASCONCELOS - DEM
MARIA ANTONIA DA SILVA - PRB
OMAR OMERO CUNHA - PTNPATRIC RAFAEL RIBEIRO TEIXEIRA - PRPROSAMARIA PADIAL PEREIRA RIBAS - SD
Próxima Sessão

28ª Sessão Ordinária Segunda feira 25/09/2017 às 14 horas

Acompanhe ao vivo pelo Facebook, TV Câmara canal 14, Rádio 87 Fm e aqui no site.

100 Anos de História

Webline Sistemas

CRONOLOGIA DOS FATOS

 

1855 a 1862

Entre os anos de 1855 a 1862, algumas propriedades de Faustino Ribeiro da Silva são adquiridas de posseiros.

1862

Agudos apresenta sinais de povoamento. A freguesia de Lençóis é separada da freguesia de Botucatu e a pequena localidade de Agudos é incluída como um dos “quarteirões” de Lençóis.

1862 a 1868

Época em que a primeira capela de Agudos deve ter sido construída.

1880

Devido ao crescimento do número de sitiantes que habilitavam a região, é criada a freguesia de Espírito Santo de Fortaleza (Piatã). Mas Agudos, embora mais próxima de Fortaleza, estava sob a jurisdição eclesiástica e administrativa de Lençóis.

1881

Em 30 de Março de 1881, o vereador Caetano Alberto de Campos Mello, observando o desenvolvimento da região, prevê a necessidade de abrir caminhos entre uma localidade e outra e aponta “a necessidade extrema de se mandar fazer duas pontes na estrada que seguia de Lençóis para Agudos”.

1883

Constata-se a existência de uma “Fazenda dos Agudos”, em cujas terras foi aberta uma estrada “causando danos nas lavouras por onde ela passa”

1887

Aumenta a significação das estradas, tendo sido nomeados, em 28 de janeiro de 1887, “inspetores de caminhos”

1888

Registra-se grande afluência de pequenos e grandes fazendeiros para a Serra dos Agudos, que se vai tornando um grande centro cafeeiro.

1889

Em 28 de Fevereiro de 1889, na sessão da câmara de Lençóis, é pedida a nomeação, é pedida a nomeação de uma comissão de vereadores para tratar de consertos e reparos na estrada que comunica Lençóis “com a importante Serra de Agudos”

1895

O povoado de Agudos já somam mais de três mil habitantes. Cel. Delfino Alexandrino de Oliveira Machado constrói a imponente e primeira residência rural, na fazenda São João, de sua propriedade. A 14 de novembro de 1895, o governo do Estado cria o Distrito Policial, “atendendo-se a uma necessidade do próprio progresso da localidade”.

1896

O tem. Cel. Cornélio Brantes Freire da Rocha e que teve grande atuação na política de Fortaleza, agora Inspetor Municipal, muda-se para Agudos, atraído pelo maior futuro do lugar”, do qual já se aproximavam os trilhos da Sorocabana Agudos. O presidente do Estado de São Paulo, Manoel de Campos, promulga a Lei número 514, de 2 de agosto de 1897, que cria um Distrito de Paz, no distrito policial de São Paulo dos Agudos, no município da comarca de Lençóis. Cel. Delfino é eleito o primeiro juiz do Distrito de Paz de Agudos.

1898

São criadas as primeiras escolas de Agudos, uma para o sexo feminino e outra para o sexo masculino. Levando-se em consideração pedido peito por Faustino Ribeiro é criada a Paróquia de São Paulo, Dr. Francisco de Assis Peixoto Gomide, promulga a Lei número 543, de 27 de Julho de 1898, que eleva à categoria de Município o Distrito de Paz de São Paulo dos Agudos.

1899

A vila de São Paulo dos Agudos possui 40 casas comerciais, sendo seis delas de primeira ordem. Em 20 de fevereiro de 1899, é instalada a primeira câmara municipal de São Paulo dos Agudos e eleito o primeiro prefeito municipal (Intendente) Benedito Ottoni de Almeida Cardia. Cel. Delfino redige representação para que Agudos conquiste a comarca. O presidente do Estado de São Paulo, Cel. Fernando Prestes de Albuquerque, promulga a Lei número 635, de 22 de Julho de 1898, que transfere a vila de  São Paulo dos Agudos a sede da comarca de Lençóis.

 

 

1900

Em 6 de fevereiro de 1900, é criada a comarca eclesiástica de São Paulo dos Agudos ficando jurisdicionada à referida comarca as paróquias de Espírito Santo de Fortaleza (Piatã) Bauru e Pederneiras.

1903

Em 9 de junho de 1903, pela lei número 4, é autorizada a instalação da iluminação a querosene, no Largo de São Paulo e ruas 13 de Maio e 7 de Setembro. Em 25 de setembro de 1903, é inaugurada a Estrada de Ferro Sorocabana.

1905

Têm início as obras de construção da Igreja Matriz. O presidente do Estado de São Paulo, Dr. Jorge Tibiriçá, promulga a Lei número 975, de 20 de dezembro de 1905, que muda a denominação de São Paulo dos Agudos pela de Agudos.

1907

Em junho de 1907, estavam quase concluídas as obras do novo cemitério. É lançada a primeira pedra da cadeia pública, na Praça Tiradentes. Há na cidade seis escolas públicas, sendo três do sexo masculino e três do sexo feminino e duas escolas particulares. O comércio é próspero. As principais casas comerciais localizam-se nas ruas 13 de Maio e 7 de Setembro. Há pelo menos sete hotéis para todos os gostos. Bailes, filmes, espetáculos teatrais e circenses são realizados no Salão Lisboa. A Banda Lyra Agudense alegra dominicalmente a cidade. Gabriel Rocha torna-se deputado estadual. É construído o prédio onde funciona hoje o Espaço Histórico Plínio Machado Cardia.

*Até emancipação Político-adminstrativa.

 







melhor utilizado Firefox - Chrome - Ie9 ou superior